Análise à época do Sporting – Os motivos do falhanço

Se antes da entrada de Bruno de Carvalho, para a presidência do Sporting, o clube leonino há muito andava afastado da luta pelo primeiro lugar e pelos títulos, com a sua chegada o panorama alterou-se. Impondo uma reestruturação financeira e apostando na prata da casa e em jogadores desconhecidos o Sporting foi conseguindo recuperar a sua força, primeiro com Leonardo Jardim e depois com Marco Silva, que conseguiu inclusive devolver os leões aos títulos, com a conquista da Taça de Portugal em 2014/2015.

Após duas épocas a bom nível, Bruno de Carvalho queria mais, Bruno de Carvalho queria o título de campeão nacional, e foi com esse objetivo em mente que o presidente do Sporting abriu os cordões à bolsa, indo buscar o treinador bicampeão nacional, Jorge Jesus, ao rival Benfica.

A chegada de Jorge Jesus ao Sporting marca um ponto de viragem na estratégia leonina. Com a vinda de jogadores experientes e de qualidade reconhecida, o investimento aumentou, bem como os gastos salariais, passando a aposta na formação a ser vista como um mero recurso em caso de necessidade.

A época 2015/2016 começou com uma guerra aberta entre o Sporting e o Benfica. Polémicas, trocas de palavras, processos e acusações mútuas marcaram o arranque da temporada, mas em campo era o Sporting que ia vencendo. Depois de ter conquistado a Supertaça, os leões venceram o Benfica mais duas vezes, com uns expressivos 3-0 na Luz, para o campeonato, pelo meio. Apesar da qualidade do futebol praticado e dos recordes batidos, o clube de Alvalade acabou por não conquistar nenhum título, muito por causa da recuperação épica do Benfica, que desde o jogo com o Porto, em fevereiro, venceu todos os jogos para a Liga.

Apesar de ter falhado os objetivos, a boa época realizada deixava os adeptos leoninos ansiosos pela nova temporada, mas depois de um início de temporada promissor o sonho começou a desvanecer-se. As saídas de João Mário e Slimani, que se sentiram mais do que era expectável, aliadas ao falhanço nas contratações de jogadores como Elias, Markovic e André, conduziram o Sporting a uma série de resultados menos positivos, falando-se já em falhanço total da época leonina.

golo-2

Este ano, o clube de Alvalade foi afastado pelo Chaves nos quartos de final da Taça de Portugal,  e pelo Vitória de Setúbal na terceira Ronda da Taça da Liga. Por ter sido afastado da Taça de Portugal, também não irá disputar a Supertaça relativa a esta época.

Em relação ao campeonato, o Sporting encontra-se agora a 10 pontos do primeiro classificado, Benfica, e a 9 do segundo, Futebol Clube do Porto, sendo então muito complicado o Sporting conseguir chegar ao primeiro lugar, visto que seria necessário que as equipas treinadas por Rui Vitória e Nuno Espírito Santo, respetivamente, tivessem um final de época catastrófico.

Internacionalmente, o Sporting não se conseguiu qualificar nem para os oitavos de final da Liga dos Campeões, nem garantir o acesso à Liga Europa, o que representa mais um falhanço dos leões nesta época, em que tinham como objetivo mínimo o acesso à Liga Europa.

Se para alguns adeptos e críticos de futebol a grande culpa do falhanço da época do clube verde e branco se deve à postura de guerrilha de Bruno de Carvalho, para a maioria a questão é muito mais profunda do que isso. O mau planeamento da época, com o excesso de poder concedido a Jorge Jesus para definir o plantel, relegando a aposta na formação para segundo plano, contratando jogadores que acabaram por não render o esperado, e falhando na missão de colmatar as lacunas nas laterais defensivas, conduziram os leões à situação em que se encontra. Outros motivos apontados para a má época leonina passam pelo decréscimo de rendimento de jogadores cruciais na temporada anterior, como Bryan Ruiz, William Carvalho e Rúben Semedo, a falta de um plano B por parte de Jorge Jesus, quando a estratégia inicial não está a resultar, a falta de solidez defensiva (o Sporting já sofreu mais golos esta temporada do que em toda a época passada), a ausência de um segundo avançado que complemente Bas Dost (muitos jogadores têm passado por aquela posição) e pela menor pressão na saída de bola do adversário, devido às características do ponta-de-lança holandês em comparação com Slimani.

E para si? Quais são os principais responsáveis pela má época leonina? O que deve mudar na próxima temporada? Bruno de Carvalho deve manter-se como presidente? É Jorge Jesus o técnico ideal para levar o Sporting aos títulos? Deixe a sua análise nos comentários.

sporting-arouca

Advertisements

2 Comments on “Análise à época do Sporting – Os motivos do falhanço”

  1. Tendo em conta a próxima época e uma planificação competente, o primeiro aspeto a ter em questão era o afastamento total do principal foco de destabilização do balneário, Bruno de Carvalho. Depois passaria pela contratação de um diretor desportivo com bons conhecimentos de futebol. E finalmente pela aquisição de reforços para as posições mais frágeis no modelo de jogo do treinador. Mas atendendo ao que se passou esta época, com gastos elevadíssimos e sem resultados e à clivagem que há no balneário, no final deverão ter que ser vendidos alguns jogadores o que irá baixar a qualidade do plantel e faz prever mais um ano de travessia do deserto.

Comments are closed.